As marcas que deixamos

As marcas que deixamos

Publicado em 27/03/2018

Compartilhe

Não existe uma forma de ser uma mãe perfeita, mas um milhão delas de ser uma boa mãe.”

Jill Churchill

 

Desde pequena gosto de limpeza. Amava brincar de casinha, colhia flores e colocava nos vasinhos de plástico para enfeitar a mesa do almoço, que seria feito nas minhas panelinhas de alumínio com tampa vermelha. Sempre com um paninho na mão, fingia limpar a sujeira que Sofia, minha boneca favorita fazia.

Hoje, quando peguei um pano de limpeza, para mais uma vez tirar as marcas de mão que minha filha deixou na porta da geladeira pensei: Quando será que ela irá aprender a usar o puxador, ou melhor, quando será que ela andará com as mãozinhas limpas, sem restos de tinta, massinha ou meladas com alguma coisa que esteja comendo? Eu sei que as mães de meninos também passam pela mesma situação. As paredes da casa revelam a qualquer visitante a presença de crianças por aqui. Minha filha e suas amiguinhas estão sempre desfilando com meus sapatos e bolsas e deixando suas “marcas” por toda parte.

Tenho certeza que bem mais rápido do que penso, irei sentir saudade dessas marquinhas que na verdade são tão fáceis de limpar, que nem vale a pena reclamar. Sentirei saudade desse tempo que ela estava por perto e podia observá-la o tempo todo, ouvir suas risadas gostosas e colocá-la na cama todas as noites. Logo ela já estará crescida e as preocupações serão outras.

Existem marcas que não saem tão facilmente assim, com água e sabão. É com essas que devemos nos preocupar, com marcas que ficam na alma e no coração dos nossos filhos.

Peço a Deus (e também me esforço muuuito) para que eu possa marcar minha filha de uma maneira positiva. Quero deixar marcas de amor, de tolerância, de compaixão e espero que nunca sejam apagadas do seu coração. Sempre que me sinto cansada de repetir as mesmas ordens, lembro que o segredo para a vitória está em permanecer, continuar fazendo, falando e ensinando. Não importa quantas vezes sejam necessárias (e posso garantir que são muitas).

 

É isso que Deus faz conosco, Ele não desiste de nós, continua nos amando, cuidando, ensinando, acompanhando nosso crescimento.

Ser mãe é isso, é rir de si mesma, é saber o prato favorito de cada filho, é beijar machucados, aproveitar as salas de espera para realizar tarefas atrasadas e acima de tudo não desistir.

Deus capacitou as mulheres com habilidades especiais para serem MÃES!!!

Feliz Dia das Mães com muitas marquinhas de amor! Agora tenho que ir porque acabei de ver outra mãozinha...

Simone Lombardi - ICPI Santo André