Acompanhe nas
redes sociais
CUIDADO PREGADOR! - ICPI CUIDADO PREGADOR! - ICPI CUIDADO PREGADOR! - ICPI

Artigos

CUIDADO PREGADOR!

Publicado em 20 de dezembro de 2019

É com muito temor e tremor que gostaria de refletir com você pastor, pregador, ministro da Palavra sobre a seriedade e a responsabilidade que há na transmissão das verdades de Deus. Não julgo com isso ser melhor, ou mais fiel que ninguém, mas reflito sobre o perigo da infidelidade na pregação e nas consequências que ela trará a noiva do cordeiro, a igreja do Senhor Jesus. E é por este motivo que lhe convido a fazer esta leitura com o coração humilhado e temeroso diante de tão precioso ministério a nós dispensado.

Como uma igreja crescerá de maneira saudável, se possuir um púlpito profanado, desrespeitado, violentado e maculado? Como a igreja estará compreendendo sua missão sem o ensino claro da Palavra de Deus? Como a igreja estará pronta a vencer os desafios da vida, sem o fundamento das Escrituras? Como a igreja distinguirá o certo do errado sem mestres fiéis? Como a igreja será comprometida, se os pastores e pregadores são descomprometidos? É óbvio que a direção da igreja não está sob o domínio dos homens, mas sob o poder e a ação do Espírito Santo, entretanto, Ele usa pessoas que se dispõem para o serviço. O púlpito é o espaço humano que pode ou não ser usado por Deus. Quando usado por homens comprometidos com as Escrituras, irá apontar o caminho à igreja do Senhor. Porém, se utilizado por homens descomprometidos com a Palavra de Deus, veremos uma igreja desnutrida, imatura, sem fundamento e sacudida de um lado para o outro por todo tipo de modismos, ou vento de doutrina, e ainda que crescendo numericamente, de forma exponencial, não significa que está no caminho certo (aos olhos de Deus). Entenda de uma vez por todas, que crescimento numérico nem sempre será sinal de aprovação de Deus, se assim o fosse, as seitas não seriam os grupos religiosos que mais crescem no Brasil e no mundo.
Infelizmente as igrejas têm sofrido por causa de homens infiéis, que assumem uma função para a qual não foram chamados por Deus. Eles ensinam as mentiras que foram criadas no fundo do seu coração pecador e de sua mente atingida pelos efeitos noéticos (da queda).

1. HOMENS INFIÉIS

Quando pensamos em homens infiéis podemos caminhar por duas vertentes:

1.1 Infiéis, no sentido de homens que vivem em desconformidade com as verdades da Palavra de Deus, homens que vivem deliberadamente na prática do pecado, causando vergonha e escândalo para o evangelho. São pedra de tropeço para outros e não possuem nenhum tipo de compromisso com Deus e tampouco com a Igreja. São homens que vivem na prática do adultério, prostituição, fornicação, homossexualismo, idolatria, feitiçaria, inveja, porfias, mentira, bebedices, glutonarias, avareza e tantos outros pecados que descredenciam qualquer manifestação pública de ensino. Estes são terríveis, maldosos, amigos do mundo, servos de satanás. Têm cometido todo tipo de pecado, inclusive dentro da igreja e talvez com suas próprias ovelhas.
1.2 Infiéis, no sentido de descomprometido com a imensa responsabilidade de ser um porta-voz, um profeta, um arauto, um ministro, um pregador da Palavra de Deus. Quantos pregadores têm se esmerado no aprendizado das Escrituras? Quantos investem tempo em oração, em busca do que Deus deseja falar para o Seu povo? Isso é muito sério! Não estão lidando com a palavra de homens, mas com a Verdadeira Palavra de Deus. Não estão considerando a bondade e nem a severidade de Deus (Rm 11.22). Tais pregadores estão tratando as Escrituras como qualquer coisa, menos como PALAVRA DE DEUS, porque se assim fosse, não fariam o que têm feito nos últimos tempos. Ai daqueles que tratam a pregação com desleixo, pois o Senhor, Justo Juiz, há de pedir conta!
Só o fato de aceitarmos pregar para a Noiva do Cordeiro sem a convicção de que realmente temos nos dedicado para isso, através de todo o processo natural de oração, pesquisa, leitura constante e preparação para entregar o verdadeiro leite espiritual, já é algo para se preocupar e tremer, porque Deus pedirá conta.
Se não está preparado, não aceite! Não pregue! Pregar é muito sério!

2. HOMENS NÃO VOCACIONADOS

A possibilidade de encontrarmos igrejas sofridas, raquíticas, mortas ou frias é tão natural que às vezes nos assombramos. E a falta de vocação tem sido um dos fatores para que isto aconteça.
A falta de homens vocacionados na frente das igrejas tem sido uma arma nas mãos do maligno, para frear o avanço da igreja do Senhor, Rogai, pois, ao Senhor da seara que envie trabalhadores. Primeiro, é Deus quem chama, quem vocaciona. Segundo, a igreja, junto com a liderança, identifica os vocacionados. Terceiro, o obreiro é enviado para o treinamento, capacitação, preparo e não para a prática como tem acontecido em alguns casos. Quarto e último, após o processo de capacitação e amadurecimento, o obreiro é enviado para a missão, ou para o serviço. Este é o caminho natural do processo vocacional. Se algum destes pontos deixarem de acontecer, com toda certeza a igreja deixará também de caminhar de maneira saudável, tanto quanto o obreiro.
O que tem acontecido na maioria das vezes é exatamente a interrupção destes processos naturais da chegada ao ministério. Infelizmente muitos líderes colocam pessoas imaturas para assumir posição de muita responsabilidade, sem nenhum tempo, condição e preparo. E pior, sem orar! A igreja sofre com isso, e lembro mais uma vez, sofrerá as consequências da infidelidade e do desleixo com as coisas de Deus.
A vocação é uma condição necessária, para um trabalho ser bem- sucedido e próspero na perspectiva divina. Assim a igreja crescerá de maneira saudável e o púlpito estará sendo apenas um instrumento nas mãos de um homem de Deus, para transmitir as verdades eternas com poder, unção, graça, sabedoria, conhecimento, experiências com Deus e, principalmente, com fidelidade.

3. PREGAÇÃO INFIEL

A pregação infiel não está relacionada apenas com homens infiéis, por incrível que pareça. O homem pode ser infiel e pregar fielmente a Palavra de Deus, no sentido do teor e no conteúdo da mensagem. Infelizmente, com frequência encontramos homens que estão mergulhados na prática do pecado, mas ensinam corretamente as Escrituras. Então, podemos perceber que o pregador pode ser um cristão sério, mas ser um pregador infiel, assim como ser um infiel, mas pregar de maneira “séria” (em relação ao conteúdo).
No cenário atual encontramos estilos de pregações que rapidamente identificamos como pregações infiéis às Escrituras Sagradas: Pregação “standup comedy”, Pregação Coaching, Pregação Antropocêntrica, Pregação da Prosperidade e Pregação do Positivista, são exemplos claros de pregações infiéis.
Não sei se você consegue perceber pela lista elencada acima, dos tipos de pregações infiéis, mas são estas as pregações que mais têm agradado a maior parte dos ouvintes atuais e isso se torna mais preocupante ainda, porque vemos que as pessoas cada vez mais se distanciam da Palavra de Deus em busca de uma mensagem que traga prazer e descontração. As mensagens do tipo “Assim diz o Senhor” não são mais atuais e estão fora de moda, os ouvintes querem ouvir coisa nova.
Estamos vivendo tempos difíceis, em que encontrar pregações fiéis é praticamente impossível. E a maioria das vezes os maiores culpados de tudo isso somos nós mesmos, por não cobrarmos dos nossos líderes tal capacitação, ou habilidade. Por não darmos condições para que eles se dediquem exclusivamente a isso. E, principalmente, por desejarmos mensagens fracas, sem os verdadeiros nutrientes da Palavra de Deus, simplesmente porque queremos satisfazer os desejos dos nossos corações. Saímos em busca de ouvir a voz de Deus, quando na verdade, ela está bastante acessível aos nossos ouvidos e aos nossos olhos. Deus fala pela Bíblia, ela é a boca de Deus!
As pregações não passam de entretenimento, não há profundidade, não há unção, não há exposição das Escrituras, não há clareza, sequer há texto bíblico. A pregação não é fruto da mente humana, não é oriunda do coração do pregador, mas vem do Trono de Deus para uma mente humilhada, quebrantada e ansiosa pela iluminação de Deus através do texto sagrado. É necessário que haja homens fiéis ao Senhor, dedicados ao ministério e ao seu chamado. Que mergulhem nas profundezas da intimidade com Deus pela oração, leitura da Palavra, consagração e obtenham de Deus a mensagem que Seu povo precisa ouvir. Era assim com os profetas no AT, foi assim com os apóstolos no NT e continua sendo assim como os ministros de Deus hoje. A Bíblia deve ser lida, e não somente lida, mas também que o pregador lembre-se que ela é o seu instrumento de trabalho, por isso deve conhecê-la profundamente e ter intimidade com ela, o que só acontece com muita leitura, muita meditação, muita pesquisa, busca por ferramentas que trarão mais luz para o texto sagrado como: Comentários, manuais, dicionários, informações sobre o contexto cultural, social, político, econômico, geográfico, filosófico, teológico etc. Após uma acurada pesquisa o pregador estará apto a preparar o seu sermão, porque a pregação não é somente ler e explicar o texto lido, mas também aplicá-lo para a realidade prática da igreja.

Que o Senhor nos conduza em triunfo nesta árdua jornada que requer, além do chamado especial de Deus, uma vida de comunhão com o Senhor, dedicação como pesquisador e fidelidade na transmissão daquilo que recebermos da parte de Deus.
Nos dias atuais, em meio a um turbilhão de tarefas dispensadas aos ministros da Palavra, a tentação de pregar qualquer coisa e de qualquer jeito é muito grande, mas lembremos de que prestaremos conta não a homens, mas ao Senhor de toda a Glória. Que o Senhor nos conceda força nesta missão!

(Visited 147 times, 1 visits today)

Outros Artigos

O Resultado de uma Igreja Cheia da Unção

Em Atos 2.42-47 nós encontramos os resultados da Igreja do Novo Testamento cheia da unção. No Livro de […]

Saiba +

Liderança

O estudo da liderança é de suma importância, principalmente, na época em que estamos vivendo, a fim de […]

Saiba +